Rondônia, aos 36 anos, tem sim, o que comemorar


Zékatraca | 04/01/2018

O estado de Rondônia completa neste dia 4 de janeiro de 2018, 36 anos de instalação. A festa da nomeação do 1º governador do estado de Rondônia, Jorge Teixeira de Oliveira - Teixeirão aconteceu no palácio Presidente Vargas e contou com a presença do Ministro da Justiça Ibrahim Abi Akhel representando o presidente João Batista de Figueiredo e Ministro Mário Andreazza o grande incentivador da criação do estado enquanto Ministro o Interior.

O Estado foi criado em 22 de dezembro de 1981, pela Lei Complementar número 41, sancionada pelo presidente João Batista Figueiredo e sua instalação aconteceu no dia 4 de janeiro de 1982.

Rondônia hoje, é governado pelo Dr. Confúcio Ayres Moura considerado um dos melhores governadores do Brasil na atualidade. Rondônia é o terceiro maior estado da região norte em se tratando de produção, em especial no agronegócio, além de ser o maior produtor mundial de peixe criado em cativeiro.

Somos um dos maiores estados brasileiro, exportador de carne bovina, nossa carne, é consumida em países como Rússia e Egito.

Enquanto muitas unidades da federação ainda estão tentando quitar suas dívidas, Rondônia está em dia, inclusive, com o pagamento dos salários dos seus funcionários. Nos seus 36 anos de instalação, Rondônia tem sim, o que comemorar.

Carta de Rui Teixeira filho de Jorge Teixeira

A respeito da data de instalação do estado de Rondônia, o filho do Coronel Jorge Teixeira de Oliveira Rui Teixeira hoje residindo no Rio de Janeiro, nos enviou o seguinte texto.

“A grande verdade, é que os articulistas que hoje escrevem sobre Rondônia não tiveram e nem conhecem os bastidores da criação do estado. Ultimamente tenho lido alguns textos que demonstram o total desconhecimento do processo e das dificuldades e até interferências contrárias à emancipação. O tempo de permanência de antigos governadores do antigo território nunca superou 6 meses. Sem medo de errar, acho que se não fosse o estilo do meu querido pai (Teixeirão), hoje Rondônia talvez estivesse na mesma situação do Acre, Roraima e Amapá.

Mudando a data do aniversário do estado considero um desrespeito e uma total falta de consideração com todo o esforço de todos que abraçaram a causa. Fico muito triste quando vejo o nome de meu pai ser esquecido ou minimizado.

Considero um total desrespeito à destruição e abandono da estação da Madeira-Mamore e a mudança da data de aniversário do estado”.

(ass) Rui Teixeira.


Comentários