As 10 ideias de negócio mais procuradas pelos brasileiros


Exame | 15/09/2017

Se você pudesse empreender, em qual tipo de empresa investiria? Para a maioria dos brasileiros, o sonho de empreender se materializa principalmente nas lojas virtuais. O e-commerce próprio é o grande preferido dos que buscam uma nova ideia de negócio.

O dado é do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). A instituição divulgou o balanço parcial do ano em número de acessos ao seu portal de Ideias de Negócios, que reúne mais de 450 tipos de empreendimentos.

Além de mostrarmos as dez ideias de negócio mais procuradas pelos brasileiros, cada item terá uma introdução dada pelo Sebrae sobre como é cada empreendimento. O material pode servir de inspiração para quem está se planejando para empreender em breve.

Uma dica já podemos dar: 2018 pode marcar o destaque do setor de serviços, como já podemos ver no ranking deste ano.

“Em um momento de crise, quando não há tanta disponibilidade de crédito, o setor de Serviços demanda muito menos investimentos na abertura de um negócio”, afirma Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae Nacional. “Quando o empresário vai montar um empreendimento e é o próprio prestador de serviço, são necessários poucos recursos: apenas um celular, caso você queira abrir uma empresa de consultoria, por exemplo.”

O presidente também cita uma pesquisa anterior da instituição que elencou os ramos de alimentação, vestuário e conserto como as opções de muitos brasileiros. “O estudo, com base no perfil de novas empresas em anos anteriores e no comportamento da economia nacional, revela que os empreendimentos que atendem às necessidades básicas e que oferecem serviços de reparação, além de serviços especializados que permitem a redução de custos operacionais a outras empresas, estão entre as atividades mais promissoras para este ano.”

Confira, a seguir, a lista das ideias de negócio mais procuradas pelos brasileiros neste ano:

1 – Como montar uma loja virtual

Mulher empreendedora trabalha em computador

(Foto/Thinkstock)

“O conceito de loja virtual pode ser definido, de forma simplificada, como um site na internet com um software de gerenciamento de pedidos onde as empresas expõem e vendem seus produtos. Os clientes acessam o site de qualquer lugar, escolhem os produtos para aquisição, pagam através do sistema de pagamento que a loja virtual oferece e recebem estes produtos no local designado pelo comprador no ato da compra.”

Para Afif, do Sebrae, algumas características marcantes fazem das lojas virtuais a ideia de negócio mais buscada pelos brasileiros.

“Há algumas facilidades no comércio eletrônico em comparação com as lojas físicas, o que pode atrair empreendedores iniciantes. Pela internet, uma pequena empresa tem condições de fornecer seus produtos a qualquer região, fica aberta 24h por dia, e também tem a possibilidade de concorrer com uma grande rede sem a necessidade de ter muitas lojas físicas. Também é importante lembrar do crescente número de usuários brasileiros na internet, o que contribui para elevar a quantidade de potencias compradores”, afirma.

2 – Como montar um escritório de consultoria

jovens com celular e tablet

(Thinkstock/Thinkstock)

“Consultoria é um tipo de prestação de serviço que um profissional qualificado e conhecedor do assunto oferece ao mercado, realizando diagnósticos e elaborando processos com o propósito de levantar as necessidades do cliente, identificar soluções e recomendar ações. Com as informações levantadas o consultor desenvolve, implanta e viabiliza o projeto de acordo com a necessidade específica de cada cliente.

A Consultoria Empresarial é uma atividade que tem como objetivo básico responder ou atender às necessidades das empresas ou pessoas físicas quando assim solicitada, por meio de aconselhamento ou sugestões de melhorias, embasado em firme e estruturado conhecimento.

(…) Sendo uma prestação de serviço, devemos lembrar que o mesmo é um ato ou desempenho essencialmente intangível, que vai ser oferecido para satisfazer um desejo ou necessidade sem a posse de um bem físico, sendo difícil de medir antes de se comprar. Por isso, devemos fazer com que o consumidor perceba os seus serviços como algo que irá contribuir de forma real para a solução de seus problemas, oferecendo-lhe qualidade no serviço prestado.”

3 – Como montar um food truck

Food truck

(Creative Commons/Flickr/Todd Lappin)

“Os food trucks, como são conhecidos os veículos estilizados e adaptados para produzir e servir refeições nas ruas, tornaram-se uma opção de negócio para quem pensa em investir no mercado da alimentação e gastronomia no Brasil.

(…) Carrinhos de churros, pipoca e cachorro quente, operados por ambulantes em regiões de grande movimento de pessoas são hoje parte da paisagem urbana.

(…) Alguns empreendedores Brasileiros com acesso a estas cidades também gostaram da ideia e trouxeram o conceito para o Brasil. O movimento por aqui ganhou força no início de 2014. Inicialmente, a cidade de São Paulo se destacou pelo pioneirismo nesse setor, com muitos empreendedores copiando o modelo de sucesso visto fora do país.

A iniciativa se repetiu em outros estados e hoje os food trucks podem ser encontrados no Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Salvador e Belo Horizonte entre outras cidades.

Para aumentar as chances de sucesso, o empreendedor deve realizar pesquisas de mercado e elaborar um plano de negócios.

4 – Como montar uma lanchonete

Bombas calóricas

Lanchonete (Foto/Thinkstock)

“A crescente demanda por tudo que envolve o ramo alimentício é um dos fatores que tornam a abertura de uma lanchonete um empreendimento com potencial de viabilidade. O ramo de alimentação é o segundo maior gasto do brasileiro, antecedido somente por gastos com habitação.

(…) Além da identificação de demanda potencial para o negócio, a atividade de lanchonete mostra-se vantajosa por não haver necessidade de determinação de público alvo específico e de consequentes ações diferenciadas para tais, já que se trata de um negócio bem aceito pela população de todas as regiões do país e de todas as classes sociais, dependendo do padrão do estabelecimento. Outra questão é a comodidade e praticidade que envolve o consumo nestes estabelecimentos, fatores que sustentam a demanda e fortificam as empresas do ramo.”

5 – Como montar uma distribuidora de bebidas

Seis drinks (bebidas) diferentes em balcão de bar

(marko123434/Thinkstock)

“O processo produtivo básico de uma indústria de bebidas envolve a fabricação, o engarrafamento e a distribuição do produto. No caso de um país de dimensões continentais como é o Brasil, a localização espacial das plantas industriais próximas ao mercado consumidor e a constituição de redes de distribuição com capacidade para alcançar as mais distantes localidades e enfrentar as limitações de trânsito de veículos dos centros urbanos são variáveis importantes e cruciais para a estratégia das grandes empresas de bebidas.

Outra peculiaridade marcante do setor é sua forte dependência do crescimento da renda da população, uma vez que o fator preço ainda é o principal determinante do consumo nesse mercado. Assim, mesmo que as empresas invistam em qualidade e fixação de marca, a competição é fortemente determinada pelo preço do produto final ao consumidor, o que torna o custo do frete um componente importante neste processo.”


Comentários